Read novos contos da montanha by Miguel Torga Online

novos-contos-da-montanha

Contos relacionados com a vida das gentes portuguesas da montanha.This edition is pre-ISBN....

Title : novos contos da montanha
Author :
Rating :
ISBN : 13013433
Format Type : Paperback
Number of Pages : 237 Pages
Status : Available For Download
Last checked : 21 Minutes ago!

novos contos da montanha Reviews

  • carpe librorum :)
    2019-05-20 02:36

    Não sei bem porquê, até porque não me lembro de ter lido algo em concreto deste autor, apesar de me lembrar bem do meu pai ter um exemplar dos Bichos, tinha uma ideia pré-concebida sobre a sua escrita, achava-o muito austero, género Vergílio Ferreira. É possível que os tena confundido. Após a leitura destes contos, verifiquei afinal que é uma escrita fresca, muito natural e fluida, água de nascente montanhosa. Contos muito rápidos, que revelam a sua essência no ritmo certo. Histórias com os pés assentes na terra. Vou pedir ao meu pai que me empreste os Bichos.

  • Cristina Torrão
    2019-05-08 18:22

    Se olharmos para a vida com atenção, descobrimos que ela não é assim tão normal, ou inofensiva, como pensamos. Um escritor possui esse olhar especial e transmite para o papel aquilo que os outros nem se dão ao trabalho de observar.Miguel Torga apresenta-nos a realidade nua e crua. É a tal literatura que não precisa de temas bombásticos, ou de grandes tragédias, para ser grande. Basta aquilo que acontece todos os dias, na casa dos vizinhos, ou na nossa própria casa.Não tenho muito mais a dizer sobre estes fantásticos contos. Eles falam por si. Põem-nos a pensar na verdade escondida atrás das palavras e dos atos. Nas nossas mãos permanece a decisão sobre o que fazer dos frutos desta reflexão: ignorá-la, continuando a aceitar o mundo tal como ele é; ou usá-la, a fim de entendermos melhor os outros e a nós próprios, o primeiro passo para realmente tentarmos mudar o mundo.

  • Margarida
    2019-05-08 19:30

    Miguel Torga tem uma escrita que não me fascina, embora lhe reconheça mérito. Nesta obra acompanhamos 22 contos marcados pela rude e austera paisagem transmontana, traçada com expressões e vocábulos utilizados naquela zona do país e noutros tempos, o que torna a leitura mais difícil para quem está fora do contexto.

  • Bárbara
    2019-05-03 21:13

    São histórias de tempos idos, algumas duras e tristes, outras duras também mas com um final redentor. A linguagem é antiga, há expressões que já ninguém usa como “espera um migalho” e outras, que me fizeram sorrir e lembrar as minhas avós.São contos para saborear um a um, devagar, ao ritmo de quem percorre os caminhos a pé. Gostei muito e recomendo.

  • Bartolomeu De Bensafrim
    2019-05-01 02:30

    Melancólica e deliciosa noite de Outono. Envergava, pela primeira vez desde a chegada dos calores, uma camisa de manga comprida. Numa encruzilhada cujos pormenores já não consigo precisar, avistei o lobo e para ele me dirigi.Concedeu-me três desejos mas invoquei apenas um: - Que o Senhor Torga, se me estiver a ouvir, não me leve a mal. Mas desejo que hajam várias realidades paralelas onde tantos Torgas viveram e escreveram e morreram, em diferentes sítios de Portugal. O que quero, benevolente lobo, são «Contos da Montanha» enraízados na planície alentejana, ou nas mortais marés da Nazaré, ou nas serras do Algarve, e por aí adiante, para cada cantinho do meu país. Coloca os manuscritos dentro da minha sacola, caro lobo, para que eu os saboreie mais tarde, debaixo de manta, diante de alaranjado lume, infusão quente no colo. O lobo pareceu confortável, e até entusiasmado, com o meu pedido. Disse: - Porque pedes tão pouco? Porque não queres o fruto de um Torga basco? Como não anseias por ouvir um Torga andino, outro da Amazónia, outro empoeirado pelos dourados mantos do Sahara, outro que cavalgou com o grande Khan? Que dizes? - Que horror, caro lobo! - respondi, um tanto escandalizado. - Torga não pode ser concebido fora de Portugal. Seria outra coisa, uma entidade enxertada e malsã. O lobo sorriu, sábio, e disse: - Contudo não te importas de arrancar o Senhor Torga aos maternos baldios de Trás-os-Montes? Compreendi a minha insensatez. Agradeci, afaguei com ternura o lobo, e fiz-me à estrada. Durante o meu escuro e deslumbrante caminho meditei um pouco mais. Compreendi que, na verdade, Torga existe em qualquer recanto da Terra. Existe em qualquer canção, em qualquer lamento genuíno, em quaisquer palavras que invoquem a brutalidade, a loucura, a beleza, a paixão e a ternura da besta humana. Cheguei a casa, extenuado, acendi o fogo e sentei-me. Na mesinha dos livros vislumbrei um desconhecido e nobre alfarrábio em cuja capa se lia : «Novos Contos da Montanha».(...)Quase todos os contos deste precioso almanaque são pedras preciosas genialmente esculpidas por alguém com um poder de observação sobre-humano. Estão imaculadamente bem escritos e pejados de cultura e vida, vida ancestral e sagrada. Os mistérios da existência dissipam-se na paisagem transmontana. A sabedoria e a loucura de mão dada durante a desnorteada procissão humana. Ri e chorei.Muito obrigado, Senhor Torga, do fundo do meu humilde coração.

  • Sofia
    2019-05-11 01:22

    que dor de alma ler alguns estes contos..

  • Mariana Flores
    2019-05-06 01:30

    Ler Miguel Torga é sempre como ler Portugal. Torga tem um jeito de falar das gentes, dos lugares, que é indubitavelmente português. Faz-me ter saudades de uma ruralidade perdida.Já tinha falado dos Contos da Montanha aqui. Com os Novos Contos da Montanha, Torga traz-nos uma nova colecção de 22 contos pungentes e intemporais. Publicados pela primeira vez em 1944, três anos depois da publicação d’Os Contos da Montanha, os heróis destas histórias sãos os mesmos a que Torga nos habituou: a gente comum. Os seus destinos são trágicos mas não de um modo lírico ou elevado: são trágicos porque não lhes podem escapar.Os contos são os seguintes: O Alma Grande, Fronteira, O Pastor Gabriel, Repouso, O Caçador, O Leproso, Destinos, O Lopo, O Sésamo, Mariana, Natal, Névoa, Renovo, O Regresso, A Confissão, O Milagre, O Artilheiro, Teia de Aranha, A Festa, O Marcos, A Caçada e O Senhor.Alguns são extremamente tristes, outros extremamente felizes, como é a vida. Nenhum tem um “final” propriamente dito, pois a continuidade é inevitável. Mais uma leitura que não desaponta e que recomendo a toda a gente, principalmente, a todos os portugueses.

  • Cláudia
    2019-05-15 20:37

    Gostei mais deste livro do que do "Bichos". No entanto, continuo a não me sentir fascinada com o que este autor escreve. A sua escrita é eloquente e bastante acessível, o que facilita a rápida leitura da obra. De todos os contos, recomendo apenas dois: "Repouso" e "O Leproso", ambos são bastante satisfatórios, em comparação com o resto.

  • Xana Macedo
    2019-05-22 19:20

    A favourite.

  • Isabel Maia
    2019-04-29 02:13

    À semelhança dos Contos da Montanha, Miguel Torga apresenta nestes Novos Contos da Montanha um conjunto de vinte e duas breves narrativas, centradas em personagens singulares, duras e terrosas como as fragas que pontuam o cenário trasmontano comum a todos estes textos. Nesta obra, o autor ficciona uma realidade à qual se encontra umbilicalmente ligado, imprimindo à acção e às personagens que habitam a história um carácter profundamente humano, dramático e, de certo modo, desesperado.Mais um livro em que a "receita" inerente às obras de Miguel Torga se mantém. Histórias centradas mais nas pessoas que nos montes, pedaços de vidas de pessoas que podiam existir na vida real, tal a proximidade dos temas que são abordados. Alguns dos contos fizeram-me sorrir, em particular O Artilheiro, onde se reflecte o ancestral costume das aldeias de dar alcunhas às pessoas e às famílias; e Natal que conta a história de um pedinte que procura refúgio numa ermida em noite de Natal. Um livro lindíssimo, que recomendo.

  • Angel Serrano
    2019-05-11 18:30

    Colección de relatos cortos que fueron censurados en su primera versión de 1941 por la Dictadura Salazarista y provocaron el exilio en Brasil del escritor portugués. Ubicados en Tras-os-Montes, reflejan el espíritu provinciano irónicamente.

  • Susana
    2019-04-22 22:13

    Como é possível alguém com tantas histórias fascinantes como premissa tornar no mais sórdido aborrecimento cada conto? Está na lista dos autores que me intrigaram pela história, mas que falharam em me cativar pelo tipo de escrito desencantado e aborrecido.

  • Mariana
    2019-05-10 21:13

    Great book. Amazing stories and excelent writing.

  • Hugo Costa
    2019-05-10 20:16

    Classe.

  • João
    2019-05-23 23:11

    Na minha opinião, o melhor livro do Miguel Torga.

  • Sergio
    2019-04-27 23:40

    Que pena não poder dar mais de 5 estrelas... o que escrevi sobre os Contos da Montanha vale para este também, com a diferença de que este ainda (acho eu) é melhor. Simplesmente soberbo!